19 Jan.

Secretário de Estados anunciou que, além da reposição de benefícios, vão ser criados novos. Isenções de taxas moderadoras pode ser hoje anunciada.

O secretário de Estado da Administração Interna, Jorge Gomes, anunciou que vai ser reforçado “o voluntariado entre os bombeiros, repondo alguns incentivos que lhes foram retirados, e criando outros que sejam um estímulo e o reconhecimento da sua atividade”. Jorge Gomes não quis adiantar quais os incentivos e benefícios a repor e a criar, até por estar agendada para hoje, em Lisboa, uma reunião com a Liga dos Bombeiros Portugueses, mas o JN sabe que, em cima da mesa, está o eventual regresso da isenção das taxas moderadoras do Serviço Nacional de Saúde, tanto nos hospitais como nos centros de saúde.

A contagem do tempo se serviço como bombeiros para efeitos de reforma, podendo voltar aos 25% e não os atuais 15%, é outra das hipóteses. Mas Jorge Gomes não adiantou quais serão as primeiras medidas. “Não quero concretizar, para já, nenhum desses incentivos, porque carecem de algum estudo e de algum cuidado, para não participarmos, nem criar falsas expectativas”, diz. No entanto, adianta que “é ponto assente” que será reforçado “o voluntariado com esse tipo de medidas que apoiem e criem condições para que os bombeiros voluntários se vejam reconhecidos por toda a sociedade que servem”.

Por outro lado, haverá a aposta “na formação contínua dos bombeiros, porque os incêndios são uma tarefa ínfima a que são chamados a atuar, havendo acções como a sinistralidade rodoviária e as inundações”, esclareceu Jorge Gomes, que falou ao JN durante a sua primeira visita, desde que tomou posse, a uma corporação de bombeiros voluntários de Vila Verde.

“Os bombeiros são a primeira linha e a principal força da protecção civil, a nossa maior arma para o socorro e a assistência”, destacou Jorge Gomes, explicando que o objetivo é “a dignificação da própria imagem dos bombeiros, que passará pela formação contínua”.

O governante salientou que os equipamentos de protecção individual serão “um princípio básico na atuação dos bombeiros” e que há disponibilidade para apoiar também na “aquisição de meios operacionais e na reformulação de instalações”.

O governo apoiará, se for esse o propósito de algumas corporações de bombeiros, agrupamentos operacionais entre os seus elementos, o que “criaria dimensões e sinergias, bem como mais recursos e mais poupanças, em que todos sairiam a ganhar”.

Jorge Gomes anunciou, ainda, que já reuniu com o seu colega dos Assuntos Fiscais, para tentar isentar de imposto de circulação as viaturas que fazem transporte de doentes.

AHBVCinfães

Associação de Bombeiros Voluntários de Cinfães

A SALVAR DESDE 1970

+351 255 561 567, geral@bvcinfaes.pt